Browsing Tag

turismo

Viagem

Deserto do Atacama: Roteiro de 4 dias

Sempre coloquei o Deserto do Atacama como algo pra um futuro não próximo: como se fosse uma meta bem distante para depois de sair do sedentarismo, sabe?

Eu tinha a idéia fixa de que o deserto mais árido do mundo era uma viagem roots, com muita andança, pouca comida e pouca estrutura. Por um lado eu tinha razão – mas pelo outro, o Atacama é como todo lugar turístico no século 21: basta pagar que você tem tudo que quiser. Para entender o nível de estrutura máxima que se pode conseguir no deserto, dê uma olhadinha no hotel Explora Atacama. É surreal.

Em fevereiro de 2017 eu dei a sorte de ter uma amiga fazendo intercâmbio no Chile planejando um pulinho no Atacama, e mais duas amigas dispostas a me acompanhar nessa empreitada maluca de mini férias. 

Licancabur Atacama

 

Como chegar

As pessoas que visitam a região do Atacama partem da cidade San Pedro de Atacama, na região de Antofagasta, no Chile. Pegamos um vôo até Santiago, pela TAM, e aproveitamos para passar 3 dias conhecendo Santiago, e de lá, pegamos um vôo low-coast com duração de 2 horas, por US$ 74, pela Sky Airlines. Esse preço foi ida e volta até o aeroporto de Calama, famoso por receber turistas de todo mundo que seguem viagem ao deserto. A LATAM também faz vôos para esse destino, mas pelo triplo do preço.

Após descer em Calama, ainda tem o percurso de 1h30 feito de ônibus até a San Pedro. Este reservamos semanas antes para a hora marcada com a empresa TransLicancabur, pagando o valor de CLP 20.000 por passageiro ida e volta (+/- R$ 105). O pagamento de fato é realizado no dia, na moeda local. Existem várias empresas de translado que fazem esta rota, assim como a possibilidade de fechar negócio na hora do desembarque.

Outra opção é, de Santiago, pegar um ônibus direto a San Pedro. São mais de 17 horas, em terreno irregular, por um preço semelhante ao vôo low-coast.

Deserto do Atacama

Passeios

Muitos amigos nos aconselharam a fechar os passeios lá mesmo, no dia que nós chegássemos e assim conseguirmos um preço melhor. Mas optamos fechar com antecedência pela falta de tempo. O desafio era incluir o máximo de passeios em 4 dias – meio dia esperando para fechar todos os passeios era muito tempo para nós.

Com quem fechar?

Pesquisamos bastante para pouparmos o máximo de dinheiro – afinal, tem os boleto tudo pra pagar –  e fechamos todos os passeios com a Inca Coya, agência de turismo muito bem recomendada no TripAdvisor. Eles possuem uma estrutura simples e honesta, com carros relativamente novos e guias preparados para responder suas dúvidas (em relação a história, geografia, etc). Fechamos em quatro pessoas e conseguimos 20% de desconto, pagando 50% do valor antes (via PayPal) e 50% na chegada. Demos sorte de fazer a maior parte dos passeios com um carro menor só nós 4, que era o número mínimo de passageiros para fechar uma data. Não era pra ser assim, mas o passeio acabou sendo mais personalizado do que esperávamos. Então, se puder $$, opte pelos passeios privativos de 4×4. As vans, apesar de serem novas não eram confortáveis e tinham um espaço muito curto para a perna.

Salar de Tara, Atacama

Existem duas outras agências bem famosas entre os brasileiros e um nível maior de conforto, a Ayllu Atacama e FlaviaBia Expediciones. Essas têm melhor estrutura, incluem até mesmo roupões e taças de vinho às margens dos lagos. Nossos olhos cresceram com essa possibilidade mas chegando lá percebemos que muita estrutura não combinava com o lugar tão inóspito que é o deserto.

Dá para fazer por conta?

Não. Para fazer por conta é necessário conhecer bem os caminhos, e os passeios mais legais são em lugares sem estrada.

Onde se hospedar

San Pedro é uma cidade pequena com menos de 2 mil habitantes, ou seja, qualquer lugar é relativamente perto a rua principal, Caracoles. É lá que você consegue sair a noite, trocar dinheiro, comprar bugigangas, comprar comidinhas para os passeios e etc.

Nos hospedamos no hostel La Casa de Matilde. Um privativo para quatro pessoas, com banheiro, sala, cozinha e dois quartos. Era bem simples e honesto. Localizado a uns 700 metros da Caracoles, próximo a dois mercadinhos, etc. Para os quartos compartilhados há uma cozinha para os hospedes, uma mão da roda para quem precisa comer rápido entre um passeio e outro.

Comida

Os mercadinhos são mais caros que Santiago, frutas e legumes são bem ruinzinhos (também, pudera, o clima não era propício), então para comer optamos por legumes congelados para preparar no hostel.

Como a recomendação era comer bem, tentamos comer comida de verdade todo dia (frango, arroz, legumes, ovos).

Tá, mas e o roteiro?

Alguns passeios incluíam algumas refeições e as entradas eram a parte. Abaixo eu colocarei os preços cheios dos passeios e valores de entrada cotados janeiro de 2017 por pessoa.

DIA 1 – Termas de Puritana

CLP 15.000 | Entrada CLP 9.000 | +/- R$ 130

DIA 2 – Piedras Rojas, Lagunas Altiplanicas e Salar de Atacama

CLP 60.000 | Entrada CLP 6.000 | +/- R$ 350

Refeições: Café da manhã e almoço

Piedras Rojas, Atacama

DIA 3 – Salar de Tara

CLP 60.000 | +/- R$ 315

Refeições: Café da manhã e almoço

DIA 4 – Geiser del Tatio e Valle de la Luna

Geiser del Tatio

CLP 25.000 | Entrada 5.000 | +/- R$ 160

Valle de la Luna

CLP 15.000 | Entrada 3.000 | +/- R$ 95

Ficou muita coisa de fora?

Sim! São inúmeros os passeios possíveis no Atacama. Nós gostaríamos de fazer todos, é claro, mas infelizmente o pouco tempo que tínhamos, nos fez priorizar os mais famosos. Lagunas Escondidas, Valle del Arcoiris, Laguna Cejar, Tour Astronômico, Cerro Toco.

Essa foi a minha experiência de roteiro com outros posts em breve! Se você quiser uma visão panorâmica da região do Atacama, faça que nem eu e procure o Robson do Um Viajante, no blog ele dá todas as dicas de – muito provavelmente – todos os passeios por lá.

COMPARTILHE:
Viagem

Buenos Aires – Dicas para o viajante

ALERTA TEXTÃO | Esse post contém uma surra de informações. Na virada de 2014 para 2015 encontrei meu namorado em Buenos Aires que estava a trabalho passando o ano novo sozinho. Dividirei em alguns posts contando a minha experiência na cidade dos…

COTIDIANO Turista Paulistana

5 coisas para fazer na Liberdade

Esse final de semana, fui passear pelo bairro Liberdade aqui de São Paulo, e pesquisei alguns lugares bacanas para conhecer quando se gosta tanto de comida e experiência. Uma boa experiência envolve o ambiente, a companhia, o clima, o…