Viagem

Road trip na Califórnia: 3 dias em San Francisco

Golden Gate San Francisco

Em San Francisco não andamos de metrô porque tudo era relativamente perto. Como tínhamos três dias antes de cair na estrada, não conseguimos conhecer muita coisa. Imagino que se usássemos o transporte pouparíamos um tempo e veríamos mais coisas.

O primeiro passo para escolher a estadia foi onde não ficar na cidade e por onde não passar. Nesse caso – e em vários outros – a Maryanne do Hotel California Blog me ajudou demais com o post que aborda justamente a região legal de ser evitada. Recomendo ficar próximo da Union Square ou do Pier 39, que é onde ficam as melhores atrações e restaurantes. Ficamos em Telegraph Hill e o bairro fica no meio dos dois pontos principais que indiquei.

Union Square

É o lugar com maior concentração de lojas e restaurantes da cidade. Lá você encontra Macys, Zara, Tiffany & Co, Saks e mais. Com essa alta do dólar e as compras que pararam de compensar, vale mais tirar o escorpião do bolso e comer na CheeseCake Factory em cima da Macy’s como nós fizemos. Eles te dão um ponto eletrônico que apita e vibra quando sua mesa estiver pronta, o que permite descer no andar de baixo do restaurante e continuar suas compras. Descobri isso depois do meu primeiro cachorro quente americano – que é basicamente pão, salsicha e mostarda.

San Francisco Fisherman’s Wharf

Em português nada mais é do que o Cais dos Pescadores. Já em San Francisco, além de – claro – ter os pescadores trabalhando, a área é conhecida pela parte comercial e de entretenimento ao redor. São muitos restaurantes, hotéis, lojas e passeios. Na hora da fome eu gostaria de ter visto antes no TripAdvisor, uma vez que centros comerciais são ótimas oportunidades para enganar turistas com preços exorbitantes. Jantamos no Alioto’s, pagamos caro e não valeu a pena. 

Pier 39

O outro lado de San Francisco pra mim foi ainda mais empolgante do que passear pela Union. O Pier 39 é na verdade um shopping a céu aberto. Lá você encontra lojas de roupas, souvenires, barracas de comida e artistas de rua. É legal também pra comprar os passeios pela cidade, como Alcatraz e Bike the Bridge. Chegamos por lá 7:30 da manhã e, além de o encontrarmos vazio com as lojas ainda abrindo, ficamos sozinhos admirando os leões marinhos descansando nos decks. Inesquecível e fedido. Após isso, tomamos café da manhã na Boudin Bakery.

Em cima, Bay Bridge ao fundo e nós no pier – vazio – às 7:30. Embaixo, os leões marinhos e o Thiago cuidando da saúdo com: pão, bacon, ovos e cream cheese.

Bike the Bridge, pela Blazing Saddles

O Bike the Bridge é um passeio de bicicleta para passear pela cidade ou atravessar a ponte Golden Gate e chegar até a cidade Sausalito. O percurso até lá tem 13 km, subidas e passagens pelas ciclovias das grandes avenidas.

Para fazer numa boa tem que realmente saber andar de bicicleta. Eu mesma sempre andei, e descobri no meio da avenida principal que uma criança sabia andar com mais malemolência do que eu. Todo mundo que estava andando próximo a mim parecia saber andar muito bem. Se você não souber se manter em linha reta é melhor ir devagar para não atrapalhar quem te ultrapassa pela esquerda. 

Também tem que ter o mínimo de condicionamento físico. Eu não tinha, estava doente e tinha bebido no dia anterior. Foi um pouco traumático e certamente com preparo físico teria aproveitado melhor, MAS depois de toda a parte desesperadora, chegamos em Sausalito. Estacionamos as bicicletas nos paraciclos do Pier principal e fomos conhecer a cidade.

blazzing

Se você se perguntou se andar na Golden Gate é realmente seguro, tirei uma foto para mostrar que foi bem tranquila a passagem. A segunda foto sou eu pedindo arrego – quase, depois de descansar um pouco, completamos a rota.

Para voltar a SF você pode tanto ser corajoso e ir pedalando ou, assim como eu, pegar um Ferryboat que nos leva (junto das bicicletas) até o Pier 41, a 400 metros do Pier 39. A Blazing Saddles possui vários outros pontos para alugar bikes por San Francisco.

Quanto custa? Bicicleta, US$9/hora ou US$36/dia. Ferry, US$ 12 a volta. Você pode comprar ambos pela internet.

Enfim, Sausalito!
Foto por Dave Bloggs

Estacionamos as bicicletas nos paraciclos do pier principal e fomos conhecer a cidade. Pequena, fica na outra ponta da Golden Gate e tem pouco mais de 7 mil habitantes. Chegamos e fomos direto tomar um sorvete no Lappert’s Ice Cream. Não sei se era a qualidade do lugar ou o meu alívio por ter parado de pedalar, mas era um sorvete realmente gostoso. Fizemos uma horinha olhando o mar e pegamos o Ferry.

Lombard Street

É uma grande rua residencial em San Francisco e sua fama se dá por ser a rua mais torta do mundo, curiosamente apenas em um pequeno trecho. Da série de coisas que ninguém me perguntou: em 1922 este trecho era reto com muita inclinação e, para torná-lo mais acessível, foram construídas oito curvas fechadas. Visitamos no nosso último dia de San Francisco quando já estávamos a caminho da Highway 1. Foi logo após o melhor café da manhã que eu já comi na minha vida, no Corner Bakery Cafe.

lombard_street-maju-rezende

No mapa abaixo nos pontos azuis é possível saber direitinho as atividades que fiz em San Francisco e a distância de cada lugar, os pontos em vermelho é o que eu gostaria de ter feito e – ainda – não fiz:

Indo pra San Francisco? Deixe nos comentários suas dúvidas, quem sabe eu não possa ajudar?!

Foto abertura: “Golden Gate Bridge” por Wilson Hui
Texto Editado por Mariana Bruno
COMPARTILHE:

Você pode gostar também

Sem comentários

    Responda